Como avaliar uma História em Quadrinhos

Seja num concurso ou seja para apresentar um trabalho para uma editora, existem alguns itens essenciais que são objeto de avaliação tanto de um júri como de um editor. Aqui vão os itens que são avaliados numa história em quadrinhos:

1. Arte e acabamento – a qualidade do traço e a perícia do desenhista em fazer arte-final são essenciais. Um bom traço faz muita diferença e sempre se destaca. É importante não confundir falhas anatômicas com estilo e usar isso como desculpa para não se aprimorar. A pessoa que estiver avaliando não será boazinha nesse ponto e o mesmo se diz do acabamento; embora um traço seja diferente, nota-se rapidamente quando um desenhista não tem domínio com a tinta. O cuidado no acabamento diz muito do artista. Nesse quesito também entra o domínio na aplicação de retícula. A tinta deve estar em harmonia com o traço e a retícula tem que estar equilibrada com esta arte, por sua vez;

2. Composição de cena – o modo como as cenas são desenhadas e os ângulos escolhidos influenciam muito na narrativa. Nesse quesito entram os cenários e efeitos psicológicos aplicados na cena;

3. Diagramação – o tipo de diagramação da página deve ser harmônico com a arte e a temática da história. Saber usar o enquadramento certo é vital;

4. Linha narrativa – As cenas, em narrativa gráfica, tem uma sequência lógica. O continuísmo das cenas é muito importante para que a narrativa funcione e o leitor seja capaz de compreender as ações que passam diante de seus olhos;

5. Qualidade dos diálogos – aí se avalia o tempo de narrativa e o ritmo dela. Também é observado se a história está bem estruturada, sem furos de roteiro e com total compreensão desta por parte do leitor. A naturalidade dos diálogos é vital assim como o tempo gasto nas frases, por exemplo: ninguém diz um monólogo enorme num quadro onde a personagem está dando um golpe de espada, os tempos de ação e fala são divergentes. Não se deve esquecer que a gramática também é levada em conta;

6. Criatividade – nada de copiar séries famosas, imitar personagens ou o tipo de traço de outro desenhista. Isso pode constituir plágio, em alguns casos, e nunca pega bem. Existe uma diferença bem grande entre influência e cópia. Pode-se usar um tema universal, mas a maneira como se contará a história deve ser sempre o mais criativa possível;

7. Temática – a história deve focar num tema que deve ser desenvolvido para os leitores. Quanto mais universal for seu tema, maior a chance de abarcar um público maior (por universal se entende um tema que pode ser compreendido por qualquer pessoa que ler sua história). Mesmo quando se escreve para um público mais específico, a história só tem sustentabilidade se desenvolver bem um tema;

8. Gancho – a história deve ser capaz de prender o leitor e para isso deve ter uma narrativa envolvente.

Esses são os tópicos principais para a avaliação de uma história.


Esta entrada foi publicada em Dicas de Produção de Mangá. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Como avaliar uma História em Quadrinhos

  1. kennedy disse:

    Olá, estou procurando em alguns programas a fonte “estilo de letras que é digitado nos mangá” (Comic Sans MS) é o estilo mais próximo. Poderiam me enformar?
    Ah… e parabéns pelos trabalhos, assim que Zucker chegar por aqui, comprarei com certeza. Obrigado!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *